Crescimento Capilar com Capifix

Crescimento Capilar com Capifix: esse é um assunto que interessa a muita gente! Mesmo quem é fã dos cabelos curtinhos, não quer se preocupar caso algum dia queira adotar os fios longo.

Nos últimos anos, surgiram muitos produtos para atender à demanda de quem quer cabelos longos e saudáveis. Será que é possível dar uma velocidade maior à natureza?

É o que veremos hoje!

Como o cabelo pode crescer mais rápido?

A gente precisa ser honesto: até o momento não é cientificamente comprovado que algo possa acelerar o crescimento capilar. Os fios costumam crescer em média 1,5 cm por mês.

Entretanto, há pessoas que não conseguem essa taxa de crescimento. Por outro lado, também tem gente que vê os fios crescendo até 4 cm por mês! Mas existem inúmeros fatores que justificam essa diferença: metabolismo, alimentação, estilo de vida, genética etc.

Resumindo: a forma mais rápida para “fazer crescer cabelo” ainda não existe. O ideal é que os fios estejam fortes, o couro cabeludo saudável e com boa circulação sanguínea. Outros fatores como a oleosidade da raiz controlada, sem resíduos e saúde em dia, também influenciam no crescimento capilar.

Determinando a causa do problema de crescimento capilar

Você percebeu que seu cabelo cai muito e cresce pouco? Então, antes de mais nada, o ideal é consultar seu dermatologista de confiança.

Diversos fatores podem causar este problema, como hormônios, deficiência de vitaminas, como a B12 e a vitamina D, e até mesmo fatores como o estresse.

Descartadas estas hipóteses, a nossa alimentação deve ser variada e rica em alimentos saudáveis. Cenoura, oleaginosas e outros alimentos com vitaminas A e E ajudam a fortalecer os fios.

Outra dica é analisar sua rotina.

Você não descansa o suficiente, não pratica exercícios ou está muito estressada? Isso contribui para deixar os fios mais fracos e até mesmo aumentar a queda. Sabendo isso, é hora de cuidar das madeixas.

Como fortalecer o cabelo?

O fortalecimento dos fios é essencial para ter mechas longas e saudáveis. Mas atenção: o excesso de produtos ricos em proteínas, aminoácidos e afins também pode ser prejudicial.

O ideal é que produtos de reconstrução sejam utilizados a cada 8 ou 15 dias, no máximo. Caso contrário, o seu fio pode quebrar, por causa da saturação de proteínas na fibra capilar.

Shampoo Antirresíduos

Você também pode usar shampoo antirresíduos a cada 15 dias para fazer aquele detox básico e deixar os fios “respirarem” um pouco. A limpeza profunda permite a penetração de vitaminas e nutrientes com maior facilidade, fortalecendo os fios.

Fios fortes não quebram com facilidade, logo, crescem mais rápido. Durante a aplicação do shampoo, massageie bem as mechas e o couro cabeludo para ativar a circulação sanguínea da região.

Pode passar na raiz?

Não aplique outros produtos (além do shampoo) na raiz ou no couro cabeludo.

A imensa maioria dos condicionadores e máscaras, quando aplicados na raiz dos cabelos, obstruem os poros e os folículos capilares, deixando os fios fracos e impedindo novos fios de nascerem. Não durma com os cabelos molhados.

A umidade na raiz dos cabelos impede que o couro cabeludo seja devidamente oxigenado durante seu repouso.

Além disso, use produtos de qualidade, que tratem os fios de dentro para fora, estimulando a resistência e o crescimento capilar saudável. Existem produtos com o objetivo de estimular o crescimento. Eles são focados na fortificação do fio e na desintoxicação do couro cabeludo.

Dúvidas Comuns

“Shampoo Bomba”ou Capifix funciona?

Depende! Existem “Shampoos Bomba” fabricados por empresas conhecidas de cosméticos que tendem a funcionar, caso as orientações sejam seguidas à risca. Por exemplo: um shampoo que não é de uso diário não pode ser usado todo dia, pois dará um certo “efeito rebote” e o cabelo pode cair.

As receitas caseiras divulgadas na internet podem até funcionar, mas também depende do que se é utilizado. O café, alguns chás naturais, como o chá de hibisco, e óleos, como o óleo de rícino, óleo de coco etc., podem ser uma boa pedida

Há pessoas que recomendam, erroneamente, adicionar um famoso concentrado de Vitamina A, de uso veterinário, no shampoo.

Essa combinação pode ser perigosa e causar hipervitaminose, alergias severas e hipersensibilidade do couro cabeludo. Apenas vitaminas e complementos de uso cosmético são seguros.

Ah! Lembre-se também que nem tudo que serve para uma pessoa, serve para outra, por isso muito cuidado e discernimento nas escolhas!

Meu cabelo cresceu rápido e agora está caindo muito. O que pode ser?

Tudo na natureza tem um ciclo, inclusive os cabelos. Se você usa (e abusa) de ferramentas que aceleram o crescimento capilar, estará acelerando também o fim do ciclo do fio, afinal, o cabelo se renova também.

É comum perder até 100 fios por dia, sem que isso signifique algum problema. Isso porque todos os dias nossos cabelos encerram seus ciclos e se soltam naturalmente, para dar lugar a novos fios. Por isso, faça tudo com moderação e tenha resultados mais duradouros.

Produtos para crescimento capilar podem ser usados em barba?

Produtos para crescimento de cabelo (no caso dos cosméticos como shampoo, tônico, entre outros), geralmente não tem contra indicação e podem ser utilizados na barba. Porém, recomendamos sempre consultar o fabricante ou seu dermatologista de confiança.

Lactantes podem usar produtos para crescimento capilar?

Após 4 meses do parto é comum mulheres sentirem seus cabelos caírem mais. Essa patologia é chamada de eflúvio telógeno e é bastante comum. A recuperação acontece de forma natural durante o período de 3 a 6 meses. Não é necessário o uso de estimulantes.

Se o problema persistir por mais tempo, pode ser que a queda tenha outra causa e então é importante consultar o seu médico de confiança. Os produtos próprios para crescimento capilar geralmente podem ser utilizados nesse período. Sem excessos e sempre após a autorização do seu médico.

Cortar o cabelo com frequência auxilia no crescimento capilar?

Pode auxiliar sim, porque quando você retira pontas duplas ou ressecadas, por exemplo, permite que o fio continue crescendo de forma saudável. Um fio que não esteja com as pontas boas pode quebrar com mais facilidade e não manter os nutrientes na fibra capilar.

Agora que você já sabe todas essas dicas para um crescimento capilar saudável, é hora de botá-las em prática!

O que é CapiFix e Depoimentos

Quando você vai atrás dos depoimentos de CapiFix percebe que eles são realmente inspiradores.

Eles nos deixam mais seguros na hora de decidir. Então separei alguns deles para que vocês vejam o que ele tem feito por aí:

Gostou das dicas? Acompanhe o nosso Facebook e o nosso Instagram para ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos cabelos!

As Dietas Mais Malucas da História

Perder peso realmente não é nem de longe uma das tarefas mais fáceis. Praticar exercícios e seguir uma dieta balanceada exige disciplina, esforço, dedicação e paciência. E para tentar cumprir esse desafio, o que não faltam são métodos dos mais variados tipos que prometem deixar o emagrecimento mais fácil ou rápido.

Enquanto algumas dietas são sérias e baseiam-se na obtenção de nutrientes e inclusão de alimentos saudáveis no cardápio, outras são bem malucas e até prejudiciais à saúde. Hoje, nós vamos conhecer algumas das dietas mais absurdas da história:

1. Mudar de endereço

Está acima do peso e deseja ou precisa emagrecer? Basta mudar de endereço! Pelo menos era essa a premissa do método de emagrecimento sugerido por Thomas Short no ano de 1727. Ele foi o autor de um tratado chamado “The Causes and Effects of Corpulence” (As causas e feitos da corpulência, em tradução livre), em que verificou que as pessoas com excesso de peso costumavam morar próximas a pântanos. Então, sua recomendação era que essas pessoas mudassem de endereço e passassem a viver em locais de climas mais áridos.

“The Causes and Effects of Corpulence”“The Causes and Effects of Corpulence”

2. Morrer de fome

Nos anos 1800, durante o século 19, a moda entre a classe média e a aristocracia da Europa Ocidental era se privar da alimentação – basicamente ficar morrendo de fome – para adquirir uma aparência de debilidade e fragilidade, que na época era relacionada à pureza espiritual e feminilidade.

3. A dieta do vinagre

Em 1820, o poeta britânico Lord Byron, que era bulímico e anoréxico, popularizou a chamada dieta do vinagre. Com o objetivo de “purificar” o seu organismo, ele tomava diariamente várias porções de vinagre com água, juntamente de um chá misturado com ovo cru. Os efeitos colaterais desse hábito eram vômito e diarreia, que obviamente faziam com que ele perdesse peso, mas não de forma saudável.

4. Mastigar sem engolir

Elaborada por um negociante de arte de São Francisco, nos Estados Unidos, chamado Horace Fletcher, esse método determinava que se uma pessoa mastigar um alimento e não engolir, conseguirá perder peso. A técnica do método baseava-se em mastigar cada pedaço dos alimentos 32 vezes para absorver os nutrientes da comida, sem ganhar quilos a mais.

O próprio Fletcher chegou a creditar a perda de mais de aproximadamente 18 kg a essa dieta.

5. A dieta do cigarro

Se hoje em dia doces como o chiclete servem como método para acabar com o vício do cigarro, como é o caso do chiclete de nicotina na chamada Terapia de Reposição de Nicotina (TPR), há algumas décadas atrás a situação era justamente a contrária.

É que lá pelo ano de 1925, as empresas fabricantes de cigarro anunciavam seus produtos como benéficos à saúde como opções para substituir as guloseimas. Uma delas, a Lucky Strike, prometia que com somente uma tragada, os consumidores não sentiriam mais falta dos doces que fazem engordar.

Lucky StrikeLucky Strike

6. A dieta do povo Inuit

Considerada uma versão extrema da dieta Atkins, que restringe a ingestão de carboidratos nas refeições, esse plano foi apresentado pelo explorador Vilhjalmur Stefansson.

Quando passou um tempo com o povo Inuit, do Canadá, ele ficou maravilhado pelo fato de que eles eram saudáveis apesar tendo uma alimentação baseada em caribu, peixe cru e gordura de baleia, sem consumir muitas frutas e vegetais.

O explorador não só ficou atraído por essa dieta, como também afirmou ter incorporado a sua vida. Para provar a eficácia do método, ele foi avaliado por médicos de um hospital de Nova Iorque, que monitoraram o seu coração durante meses e constataram que ele estava saudável.

7. A dieta do sono

Dormir é uma maneira de se desligar do mundo e ficar impedido de fazer diversas atividades, incluindo se alimentar. Partindo dessa ideia é que surgiu, durante a década de 1960, a “The Sleeping Beauty Diet” (A Dieta da Bela Adormecida, tradução livre). Para ficar sem comer, os seguidores do método sedavam-se poderosamente, de modo que dormissem durante dias.

The Sleeping Beauty DietThe Sleeping Beauty Diet

8. Esqueça as calorias

Essa era a premissa de um método de emagrecimento divulgado pelo médico Herman Taller em um livro no ano de 1961. Ele afirmava que se uma pessoa restringisse o consumo de carboidratos e ingerisse comidas ricas em proteínas e gorduras, ela não precisaria se preocupar com a quantidade de calorias presentes em cada alimento.

Isso se juntamente com os alimentos, ela também ingerisse 85 g de óleo poli-insaturado, substância encontrada em uma pílula que era fornecida por ele. A justificativa do médico é que a mistura das proteínas, das gorduras e do óleo estimulava a perda de peso, que poderia chegar a cerca de 30 quilos em oito meses.

Entretanto, o método provou ser um pouco duvidoso, quando o doutor Taller foi acusado de usar o seu livro para promover determinada marca de óleo. Além disso, em 1967, ele foi julgado e condenado por fraude postal e conspiração.

9. Dieta Prolinn

Durante os anos 70, surgiu a dieta Prolinn. Criada por um médico chamado Roger Linn, ela determinava que as pessoas não ingerissem nenhum alimento, a não ser uma bebida elaborada por ele – o tal do Prolinn – feito de chifre de animais, ossos, cascos, tendões e outros subprodutos de origem animal, tratados com sabores artificiais e enzimas. A substância não provia nenhum nutriente ao organismo e tinha apenas 400 calorias.

Resultado: pelo menos 58 pessoas que tentaram o método sofreram de ataques no coração. Sabendo que o organismo necessita de nutrientes para funcionar corretamente e que excluí-los da alimentação causa sérios danos à saúde, essa dieta claramente não poderia ser recomendada.

10. A dieta do ar

Essa ;dieta maluca simplesmente exige que as pessoas parem de comer e passem a sobreviver somente com o ar. Os seguidores acreditam que a partir do momento que um ser humano consegue se harmonizar com o mundo, ele não precisa mais de comida, água ou sono.

Para provar o quão furada e perigosa essa dieta é, vale registrar aqui que uma australiana chamada Jasmuheen, adepta do método, submeteu-se a um teste para um programa de televisão a fim de comprovar a dieta. Depois de quatro dias de experiência, o projeto teve que ser cancelado pois a mulher estava bastante desidratada, com as pupilas dilatadas e apresentava fala arrastada.

11. A dieta da visão

Tendo em vista que cores como amarelo e vermelho são conhecidas por abrirem o apetite e o azul diminuir, uma empresa japonesa criou os óculos da dieta. Com lentes azuis, a promessa da fabricante é que elas fazem com que os alimentos pareçam menos apetitosos e assim o desejo de comê-los diminua.

12. A dieta do algodão

Já pensou em incluir algodão na sua alimentação? Pois é isso que os adeptos da dieta do algodão fazem. Dá para comer seco ou misturado com um pouco de gelatina. A justificativa é que o produto proporciona a sensação de saciedade ao organismo, o que ajuda a diminuir o consumo de alimentos mais calóricos. Ele até contém altas doses de fibras, só que não aquelas que o organismo humano necessita.

Fonte:http://jenios.com.br/phyto-power-caps-resenha/

Vitiligo é Contagioso? É transmissível? Como Funciona?

O vitiligo não é contagioso, formando-se pela perda ou diminuição da melanina na pele. Não se sabe bem ao certo o motivo e a causa da doença, mas acredita-se que ela seja autoimune. Também se supõem que traumas e mudanças emocionais podem desencadear a descoloração nas regiões afetadas. Além de não ser uma doença contagiosa, o vitiligo não traz malefícios à saúde de quem o possui. Apenas 1% da população sofre com a doença, sendo que 30% dos casos são genéticos.

O vitiligo acontece quando as células que produzem a melanina morrem ou deixam de produzi-la, que é o pigmento que dá coloração ao cabelo, aos olhos e à pele. Quanto mais melanina, mais pigmentada a pele ficará, sem ela, começam a aparecer as manchas brancas.

Como não se sabe ainda o porquê de isso acontecer, a teoria mais aceita é que o vitiligo é autoimune. O corpo começa a atacar e destruir os melanócitos, célula que produz as melaninas. Apesar de não estar acompanhada de qualquer outro sintoma, alguns pacientes relatam sensibilidade na região afetada. A preocupação maior é com a autoestima do paciente, que acaba sendo prejudicada. 

O que é Vitiligo?

No vitiligo, acontece a hipopigmentação, que deixa as manchas em diferentes tamanhos e em diferentes regiões do corpo. Não há ao certo como prevenir a evolução das manchas, que podem regredir, evoluir ou estabilizar, não contando com um padrão.

Apesar de poder impactar pessoas com qualquer coloração de pele, o vitiligo é mais comum em indivíduos com pele mais escura. A doença pode até ter cura, mas depende da resposta do organismo do paciente.

Ademais, não há uma idade certa para apresentar os sintomas, mas, geralmente, os surtos começam a surgir por volta dos 20 aos 30 anos, em que há a maior incidência do surgimento do vitiligo o que não impede que pessoas mais velhas ou mais novas sofram também com o problema.